Cada vez mais, museus têm investido em tecnologia para que as pessoas usufruam de seus recursos, tanto por meio da digitalização do acervo para visitas virtuais como pela rapidez na compra de ingressos. Para aprimorar sua venda online de entradas, com maior controle do perfil de cada usuário e maior possibilidade de fidelização, o MASP acaba de firmar parceria com a INTI, plataforma de gestão e Business Inteligence (BI), CRM e venda de ingressos, season tickets, doações e inscrições para cursos. Iniciada em 15 de janeiro, a parceria começa com uma promoção: a isenção da taxa de conveniência, na compra de ingressos pela internet, até 28 de fevereiro.

O contrato amplia a parceria já firmada entre museu e startup em torno do Amigo MASP, programa de fidelidade que tem por objetivo arrecadar recursos para os projetos do MASP. A INTI fornece infraestrutura tecnológica para o programa. “A INTI dará ao museu acesso a uma série de dados de inteligência do perfil de compra, além de possibilidade de uma diversidade de ações de relacionamento com seus consumidores”, diz Nicolle Stad, CEO da startup.

A isenção da taxa de conveniência responde, segundo Stad, a uma das causas da INTI. “Temos o propósito de viabilizar e ampliar o acesso à cultura. Poder fazer parte da história do MASP e contribuir de alguma forma com o consumo cultural nos traz a sensação de dever cumprido”, diz Nicolle.

Para conhecer a programação do MASP e adquirir ingressos, acesse o site do museu: masp.org.br.

Sobre a INTI

A INTI é uma plataforma de gestão, Customer Relationship Management (CRM) e Business Intelligence (BI) de ingressos, season tickets, doações e inscrições para cursos. Criada em 2015 por Nicolle Stad, com foco na transparência e eliminação de intermediários, a startup oferece serviços para empresas, teatros, casas de show e espetáculos, arenas esportivas e museus, além de diversas instituições culturais e filantrópicas brasileiras.

 

Sobre o MASP

Com a missão de ser uma instituição diversa, inclusiva e plural, o Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand (MASP) desenvolve ciclos anuais com histórias que desafiem narrativas canônicas da arte tradicional. Em 2018, foram as histórias afro-atlânticas, tema que pautou publicações, cursos, seminários e exposições como as de Aleijadinho, Maria Auxiliadora da Silva, Rubem Valentim e Sonia Gomes. Neste ano, o eixo temático “Histórias das mulheres, histórias feministas” terá mostras de Tarsila do Amaral, Gego e Lina Bo Bardi, entre outras. A programação 2019 tem início em 1º de março, quando abre ao público Djanira: a memória de seu povo, maior mostra da artista desde a sua morte, há quarenta anos, em 1979.

PUBLICIDADE
COMPARTILHAR